II Festival de Poesia da Cidade de São Paulo - Poemas inscritos

Elogio à sombra

TÍTULO DO POEMA: Elogio à sombra
AUTOR DO POEMA: Érica Nara Bombardi
INTÉRPRETE: Lya Mara Bueno

 

 

 

 

Escrever é arte ingrata

Que nos concede clarividência e depois nos amordaça.

Escrever é arte maldita

Que embrenha palavras em mandalas.

Escrever é jogo ganho

Nessa realidade dissimulada que te engole de uma só bocada.

Escrever é amar ideias vadias

Que te abandonam para depois voltar, sentar à mesa e pedir água e comida.

Escrever é agonia repartida

Entre coisas impossíveis de se nomear.

Escrever é carrasco

Que te exige vencer antes mesmo de começar.

Escrever é hastear desafio no sorriso

De quem tem a fé de ser o que um dia será.

A sina do poeta

É a de cantar sem ter quem o escutar.

Eu, também, rouca de gritar,

Escolho abraçar sombras.

Uma a uma, eu as reconforto.

Lavo suas roupas e as troco.

Acendo o fogo, lhes dou abrigo,

Batizo-as com nomes.

E depois as chamo para subirem comigo

O espiral de escadas da torre de marfim.

E na altura de meu tormento

Elas se inscrevem em mim.

comments