II Festival de Poesia da Cidade de São Paulo - Poemas inscritos

Olha só

TÍTULO DO POEMA: Olha Só
AUTOR DO POEMA: Rubenildo Limeira
INTÉRPRETE:  Rubenildo Limeira

 

 

 

Olha só que acontece e não devia acontecer:

Com tanta terra no planeta, eu compro uma pra viver.

Olha só o que acontece, ela é tão grande pra morar!

Com tanta terra nesta Terra e eu só construo se pagar.

A sociedade ignora aquele que precisa do metrô.

Não tenho grana, pois no seu quadro sou um trabalhador.

O meu salário está aqui!

Trabalhei duro o mês inteiro.

Com ele empurro a pobreza de janeiro a janeiro.

O habitante classe A acha que sua rotina o convém.

Neste globo globalizado, o homem só vale o que ele tem.

Não ter nada é normal, é fácil de acontecer.

O desenvolvimento regional quer engolir você.

Quem irá subir agora no palanque dos senhores,

E continuar guiando esse circo dos horrores?

Olha você que tem de tudo e não gosta de dividir o pão.

Que ganhou todo esse mundo na base da enganação.

Pensa só se vale à pena esse seu amanhecer;

É mais uma família a menos, por causa de você.

comments