II Festival de Poesia da Cidade de São Paulo - Poemas inscritos

Castelo dos sonhos

TÍTULO DO POEMA: Castelo dos sonhos
AUTOR DO POEMA: Barbara Brosch
INTÉRPRETE: Barbara Brosch

 

 

 

 

 

A vida, ah! A vida, a vida é castelo de sonhos,

Construído devagarinho,

Desde quando no ninho,

Embalados de maternal carinho.

Mas agora, agora abraça-me bem forte

Pois com a vida vem a morte,

A morte das ilusões,

Dos sonhos e das paixões.

Mas hoje, meu cavaleiro,

Galante, altaneiro

Personagem constante

Dos sonhos meus.

Beijai-me, meu príncipe

Destes sonhos és o artífice.

Sou tua rainha, és meu vassalo.

És meu rei, meu esperado.

Do meu coração,

És o dono.

E nos teus braços,

O abandono,

Onde há a entrega,

Que o amor emprega.

Ser e doar,

Exigir o nada,

Há não ser amada.

Meu amor, daí uma ordem

Para que, daquela morte acordem,

Aquelas ilusões, aqueles sonhos de amor

Com que a vida construiu

O mais lindo castelo que jamais se viu,

Pois teu coração é forte,

Tal qual o amor consorte

Que me ofereceis.

Ah! Doce ladrão

Do meu coração,

Tu moras por tantos momentos,

E em todos os meus pensamentos,

E em todas as minhas emoções,

Revivendo em mim aquelas ilusões.

Meu rei, meu cavaleiro que passeias

Nos meus jardins

Como foi que aqui entraste?

Teu amor, aceitarei

No teu ser, eu me perderei.

Morai no castelo dos meus sonhos.

Vivei comigo todas as doces ilusões

Que insisto em construir,

Na infindável esperança,

Que somente, somente o amor alcança.

comments