II Festival de Poesia da Cidade de São Paulo - Poemas inscritos

Menina Melanina

TÍTULO DO POEMA: Menina Melanina
AUTOR DO POEMA: Mel Duarte
INTÉRPRETE: Mel Duarte

 

 

 

 

Passou por incertezas

Momentos de fraqueza

Duvidou se há beleza

No seus olhos escuros,

Seu cabelo encrespado,

Sua pele tom noturno,

Seu gingado erotizado.

Algumas por comodismo não se informam, nem vão atrás

Pra saber da herança que carregam, da força de seus ancestrais!

Preferem acreditar que o bom da vida é ter um belo corpo e riqueza

E que chegará ao ápice de sua carreira quando se tornar a próxima Globeleza.

Preta:

Mulher bonita é a que vai a luta!

Que tem opinião própria e não se assusta

Quando a milésima pessoa aponta para o seu cabelo e ri dizendo que ele está ‘’em pé’’

E a ignorância dessa coitada não a permiti ver...

Em pé, armado,

Foda-se! Que seja!

Pra mim é imponência!

Porque cabelo de negro não é só resistente,

É resistência.

Me aceitei, quando endredei

Já são 8 anos de cultivo e paciência

E acertei quando neguei

Esse padrão imposto por uma mídia de uma sociedade que não pensa.

Preta, pretinha

Não ligue pro que dizem essas pessoas,

E só abaixe a tua cabeça

Quando for pra colocar a coroa!

comments