II Festival de Poesia da Cidade de São Paulo - Poemas inscritos

Eu quero Pó

TÍTULO DO POEMA: Eu quero pó 
AUTOR DO POEMA: Daniel Du Gueto
INTÉRPRETE: Daniel Du Gueto

 

 

 

 

Eu quero pó

Eu quero pó

Eu quero pó

Eu quero poesia.

 

Já estou viciado

Estou ficando pirado

Têm vários que gosta

Essa é a nova droga

Estou baqueado.

 

É o que corre na minha corrente sanguínea

Consumi e gostei

Eu quero pó

Eu quero pó

Eu quero pó

Eu quero poesia.

 

Sai fora do lança-perfume

Não se estrague com a cachaça

Você vai ter um piripaque ingerido balinha.

 

Quero ficar na brisa

Tomar uma balde de poesia

Tem de dez, vinte e de cinquenta.

 

Tenho muitos quilos

Eu quero pó

Eu quero pó

Eu quero pó

Eu quero poesia.

 

Preciso ficar lúcido para se tratar

Quer saber para eu não ficar na abstinência

Vou ler um Drummond de Andrade

Para eu ficar ciente do mundo e da sua vaidade

No mundo tem muito vaidoso

Que se perdeu nas idéias, por conta do Crack.

 

Eu, nessa situação de só querer pó

Eu quero pó

Eu quero pó

Eu quero pó

Eu quero poesia.

 

Seja no papel ou no livro

Na humildade, estica a carreira

Quero cheirar o conhecimento

Quero cheirar da vida de Abadia

Martin Luther king

Também tem a historia de Zumbi e de Madiba

Favelas, vila Santa Catarina

Quebrada sofrida.

 

Que situação que deixa-nos triste

Por isso eu consumo e não paro por quê?

Eu quero pó

Eu quero pó

Eu quero pó

Eu quero poesia.

 

Vai chegar à rua toda

Os bacanas vão ficar de toca

Eu mando um salve pra gang da maloca

Criançada não é tola.

 

A marola rola e todo mundo fica de boa

Quando vêm os de farda, zoa

Mas que porra!

 

Sociedade podre

Isso cria meu surto e o meu vicio só aumenta

Precisamos de vida.

 

Vem pra cá, tu vai sair carregado de poesia

Você quer pó?

Eu quero pó

Eu quero pó

Eu quero pó

Eu quero poesia.

comments