II Festival de Poesia da Cidade de São Paulo - Poemas inscritos

El amor todo lo iguala

TÍTULO DO POEMA: El amor todo lo iguala
AUTOR DO POEMA: Beatriz Dias Girotto
INTÉRPRETE: Beatriz Dias Girotto

 

 

 

Ah, o amor....

Qual amor?

Quando amar?

Como sei que é amor?

Sem rótulos, sem receitas,

Sem paixão, só o coração.

A ilusão empobrece,

A alma, o corpo, a ligação.

Esse amor que me habita,

Tenta sentir e compreender,

Busca aceitar o outro, 

Sendo um outro ser.

Tudo bem, não te apresses,

Pois esse que te enobrece,

Chega de mansinho, 

Vem testando, e constrói um ninho.

Naturalmente me dou conta,

O amor vem me ensinando a amar,

Amar as fraquezas e as virtudes,

Amar simplesmente por amar.

Cuidadoso, libertador e parceiro,

Não concorda o tempo inteiro,

Não controla as escolhas,

Não impõe e não abandona.

O que eu entendo do amor?

Entendo muito pouco, talvez,

Estou aprendendo todo dia,

Estou vivendo a sintonia.

O meu primeiro amor?

Não fui eu mesma,

O amor do outro me tocou,

Trouxe-me de volta a quem sou.

Por isso eu posso te dizer,

Jamais desista do amor,

Sei que não se opta sentir,

Sei que há o pranto ao dormir.

Decidir ou não?

Não está em nossas mãos,

Palavras são desnecessárias,

Pues el amor todo lo iguala.

comments